Usina eólica flutuante ganha primeira bateria de armazenamento
03 de Março de 2020

Usina eólica flutuante ganha primeira bateria de armazenamento

Gerar energia eólica nos oceanos será ainda mais produtivo. Isso porque foi desenvolvida a primeira bateria capaz de armazenar este tipo de energia. A solução foi instalada no parque Hywind Scotland: o primeiro parque eólico offshore flutuante do mundo, localizado a 25 quilômetros da costa de Peterhead, na Escócia.

A solução foi apresentada em parceria pelas empresas Equinor e Masdar, multinacionais do setor de energia. Usando cabos, elas vão transportar a eletricidade produzida até uma subestação em terra, onde as baterias de 1 MW serão conectadas à rede. A capacidade da bateria, chamada de Batwind, é equivalente a mais de 128 mil iPhones.

“Para tornar a energia renovável mais competitiva e integrar ainda mais renováveis ​​à rede, precisaremos encontrar novas soluções inteligentes para seu armazenamento, a fim de fornecer energia consistente. Como fazer isso de uma maneira inteligente e criadora de valor é o que pretendemos aprender com o Batwind”, diz Sebastian Bringsvaerd, Gerente de Desenvolvimento da Hywind e da Batwind.

Perspectivas

De acordo com relatório recente da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), os custos de instalação de sistemas de armazenamento de bateria podem cair em dois terços (66%) até 2030.

A solução de armazenamento do Batwind funciona, em muitos aspectos, como um depósito de energia. A Equinor e a Masdar testarão onde construir o armazém, quão grande deve ser e como executar a logística.

“Embora existam muitos produtos e soluções de armazenamento de energia no mercado, as soluções de software de bateria são menos desenvolvidas. Queremos ensinar quando a bateria deve segurar e armazenar eletricidade e quando enviar para a rede. Será realmente emocionante ver como podemos desenvolver a bateria combinada e a solução de software e tornar a Batwind o mais inteligente possível”, diz Bringsvaerd.

O trabalho intelectual inclui várias fontes de dados, como previsões do tempo, preços de mercado, cronogramas de manutenção, padrões de consumo e serviços de rede.

“A digitalização é um fator-chave aqui. Quanto mais alimentamos o sistema de gerenciamento de energia Batwind com dados, mais inteligente ele fica. Além disso, a bateria pode ser usada para outras fontes de energia renovável, incluindo a solar e a eólica onshore (em terra). Acreditamos que isso ampliará o mercado para todas as fontes de energia renováveis”, diz Bringsvaerd.

Comentários para este post
Leia também
Inscreva-se em nossa newsletter