Secador de mãos ou papel toalha: o que causa menos impacto no meio ambiente?
19 de Novembro de 2020

Secador de mãos ou papel toalha: o que causa menos impacto no meio ambiente?

A sustentabilidade envolve a aplicação de uma série de práticas no dia a dia para contribuir com o meio ambiente e reduzir os danos para o planeta e as futuras gerações. A mudança de hábitos e comportamentos deve ser adotada por empresas, governos, organizações e pessoas em diversas situações.

A adoção de hábitos sustentáveis inclui diversas atitudes rotineiras, como economizar água e energia, produzir menos lixo e reduzir a emissão de carbono na atmosfera. Nesse sentido, muitas pessoas buscam entender o que causa menos impacto ao meio ambiente, secar as mãos com papel ou com secador de ar quente?

Papel toalha ou secador de mãos?

As duas opções apresentam vantagens e desvantagens não apenas com relação ao meio ambiente, mas também para garantir a higiene e evitar a proliferação de vírus e bactérias.

Os secadores de mãos podem ter diversos formatos e funcionalidades diferentes, como o jato de ar quente. 

Com isso, é possível secar as mãos sem encostar em outros locais, o que pode ser mais saudável em um local com grande circulação de pessoas, como shoppings e empresas.

No entanto, pesquisas apontam que o jato de ar quente não é capaz de matar todos os vírus e bactérias, apenas ajudam a espalhá-los pelo ambiente. Ao contrário do papel toalha, que apesar de remover os micro-organismos, exige manutenção constante e destinação correta dos resíduos.

Além dos gastos com a aquisição e manutenção do aparelho, o secador aumenta o uso de energia elétrica, contribuindo para o crescimento dos gastos da empresa. Esse método de secagem das mãos também pode causar impacto ambiental, dependendo da origem da eletricidade.

Por outro lado, antes de optar pela utilização de toalhas de papel para secar as mãos é importante lembrar que esse método exige manutenção diária, tanto para incluir novos papéis quanto para remover o lixo dos banheiros.

Higiene X sustentabilidade

Com relação ao impacto ambiental de ambas as modalidades, a Fundação Espaço ECO (FEE) avaliou a sustentabilidade das toalhas de papel e dos secadores elétricos de mãos para definir qual a melhor opção.

De acordo com o estudo, a comparação foi feita entre uma secagem com até 15 segundos de duração e o uso de duas ou três toalhas de papel em um ambiente com grande circulação de pessoas. O resultado foi de que o secador é ecologicamente mais eficiente.

Além disso, do ponto de vista ambiental não há diferença entre secar as mãos por 5 ou 15 segundos com o secador a jato, já que o custo ambiental de ambos é similar. É importante destacar, porém, que o ideal é secar as mãos por 30 segundos para evitar a proliferação de vírus e bactérias.

A pesquisa da FEE levou em consideração o ciclo de vida completo dos produtos, desde a extração das matérias-primas até a destinação final dos resíduos.

Por mais que a maioria das pessoas use dois ou três papéis para secar as mãos, é possível utilizar apenas uma folha de papel para reduzir a geração de lixo. 

Com relação ao impacto ambiental, sabemos que a fabricação do papel é feita a partir de árvores desmatadas e os papéis usados para a secagem das mãos devem ser descartados corretamente para evitar a poluição do meio ambiente. Assim, podemos concluir que ambas as opções têm suas vantagens e desvantagens e devem ser escolhidas de acordo com as necessidades e características de cada local.

Agora que você já sabe o que causa menos impacto ao meio ambiente entre secar as mãos com papel ou ar quente, saiba como funciona um dispositivo solar fotovoltaico.

Comentários para este post
Leia também
Inscreva-se em nossa newsletter