Poluição: conheça os países mais poluídos do mundo e como reduzir seu impacto ambiental
26 de Agosto de 2020

Poluição: conheça os países mais poluídos do mundo e como reduzir seu impacto ambiental

A poluição é um dos grandes problemas do mundo atual e prejudica a saúde das pessoas e também o planeta. Em uma pesquisa compilada pela Cuponation com 109 países, o Brasil ficou em 65° lugar no ranking de países mais poluídos do mundo, com 56% de poluição.

A pesquisa considera quais países têm os quatro elementos (terra, ar, água e fogo) com maior grau de poluição. Ainda que a situação não pareça tão grave em comparação com outros locais, no Brasil as mortes em decorrência da poluição atmosférica aumentaram 14% em dez anos, segundo o Ministério da Saúde.

No mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que ocorrem 7 milhões de mortes prematuras por ano devido à poluição do ar ambiente. Do total, 91% ocorrem em países de baixa e média rendas do Pacífico e Sudeste Asiático. 

No ranking de países mais poluídos do mundo, o primeiro lugar ficou com a Mongólia, que tem 93,2% de poluição, e em segundo lugar Myanmar, com 93%. Por outro lado, os últimos países do ranking, ou seja, os menos poluídos do mundo, são a Islândia e Finlândia com, respectivamente, 15,6% e 11,5% de poluição.

Causas e consequências da poluição

A poluição se apresenta de várias formas, seja no ar, água, solo e outras atividades que danificam o meio ambiente e podem causar danos à saúde dos seres vivos. A poluição do ar é uma das maiores preocupações das áreas urbanas, pois causa doenças respiratórias crônicas e cânceres, levando à morte prematura.

De acordo com um relatório de 2017 da agência ambiental das Nações Unidas, a ONU Meio Ambiente, a poluição da natureza é responsável por 12,6 milhões de todas as mortes de seres humanos, o equivalente a um quarto do total.

No entanto, mesmo com os números altos, em 80% dos centros urbanos a qualidade do ar não atinge os parâmetros de saúde definidos pela ONU.

Além da poluição do ar, os mares poluídos também afetam as pessoas que dependem da sua utilização para alimentação, por exemplo. Os lixões de todo o planeta são outro fator poluente que traz riscos para a vida de mais de 64 milhões de pessoas, inclusive pela presença de materiais tóxicos.

As consequências da poluição se refletem especialmente nos riscos para as pessoas mais vulneráveis. As crianças podem ter seu desenvolvimento físico e mental prejudicado ainda na infância, enquanto o desequilíbrio ambiental também prejudica a criação de empregos saudáveis em todo o mundo, fazendo com que os mais pobres tenham ocupações insalubres.

O impacto ambiental da poluição interfere também na vida marinha, tornando áreas inteiras inviáveis para a presença dos animais. Além disso, a falta de tratamento de esgoto polui os solos utilizados na agropecuária e rios que são a principal fonte de água para as pessoas ao redor.

A importância do desenvolvimento sustentável

A ONU aponta que a principal forma de combater a poluição e reverter os danos é incentivar a produção e consumo sustentáveis em todo o mundo. No entanto, a organização destaca que mesmo que algumas formas de poluição tenham diminuído nos últimos anos, as conquistas são frágeis e é preciso evitar retrocessos.

Para isso, foram estipulados 5 eixos principais para guiar as políticas de redução da destruição ambiental:

  • Liderança política e parcerias em todos os níveis, mobilizando os setores industrial e financeiro;
  • Ações contra os piores poluentes e uma aplicação mais eficaz das leis ambientais;
  • Abordagens renovadas para gerenciar as economias, através da eficiência no uso de recursos, mudanças nos estilos de vida e uma gestão de resíduos aprimorada;
  • Investimentos novos, massivos e redirecionados para tecnologia limpa e de baixo carbono, para soluções baseadas nos ecossistemas, bem como para pesquisa, monitoramento e infraestrutura para controlar a poluição;
  • Conscientização para informar e inspirar as pessoas em todo o mundo. 

Para colocar essas políticas em prática, é preciso fortalecer a governança ambiental e a parceria entre os países para criar compromissos formais. Assim, ao mudarmos as formas de produção e consumo, é possível reduzir a poluição e a degradação do meio ambiente em busca de um desenvolvimento sustentável para as próximas gerações.

Comentários para este post
Leia também
Inscreva-se em nossa newsletter